Rodoviária de Formosa do Rio Preto é motivo de insatisfação entre a população

Com projeto iniciado durante o primeiro mandato do ex-prefeito Neo Afonso e concluída em 2015 por seu sobrinho Jabes Júnior o novo Terminal Rodoviário de Formosa do Rio Preto virou tema de muitas críticas negativas nas redes sociais e também nas rodas de conversas dos moradores da cidade.

Entre as principais queixas está a falta de planejamento em escolha do local uma vez que a localização dificulta a locomoção uma vez que os ônibus não mais seguem ao centro da cidade.

Na tentativa de “apelar” por uma solução das autoridades, uma munícipe relatou ao Jornal Acontece a dificuldade que enfrenta sempre que precisa fazer uma viagem por ônibus rodoviário.

“Terminal Rodoviário está subutilizado em Formosa do Rio Preto. Falta segurança e serviços básicos e venda de água”, queixam-se moradores.

“Essa mudança não trouxe benefícios pois quem não tem veículo próprio tem que pagar para ir na rodoviária e quando chegamos é a mesma coisa. Melhor seria se os ônibus subissem até o centro pra pegar e deixar a gente”, reclamou a senhora que solicitou anonimato de sua identidade.

Outra queixa registrada por nossa reportagem aconteceu no dia 9 de setembro quando um homem relatou em sua página no Facebook o grave problema que enfrentou.

Segundo o homem ele se sentiu indignado diante o absurdo ao qual vivenciou. Pelo registro feito, ele relatou que no dia 9 e setembro foi até a rodoviária para buscar uma pessoa. Precisou tomar um remédio de uso continuado e não encontrou nenhum estabelecimento comercial onde pudesse comprar água para tomar o comprimido.

“Não dá para entender uma obra completamente finalizada inaugurada de serventia só para as empresas venderem passagem e não ter nem água ou um café ou até mesmo uma farmácia no local tão esperado pelo público. Tá se acabando sem uso do que foi construído para servir a população de Formosa do Rio Preto. Será que um dia vai ser usada como seria esperado pela população?”, desabafou.

Outra queixa muito recorrente é a falta de segurança, especialmente no período da manhã e da noite.

Seria de bom tom encontrar uma saída para o problema. Formosa do Rio Preto tem a maioria de seus habitantes morando em área urbana. Ainda que o equipamento público seja de boa qualidade, é fato que a localização não é das melhores pois está distante da grande massa. Isso deve ser levado em consideração os moradores da zona rural que saem de suas localidades e ficam no local muitas vezes sozinhos sem o mínimo de estrutura digna. Tá faltando uma lanchonete, uma farmácia que possa atender eventuais emergência. A solução não é difícil, basta decisão política para mudar a realidade. Luís Carlos Nunes

Deixe uma resposta